quinta-feira, março 06, 2008

Despiques

Despiques: novo CD do Coro de S. João da Madeira a lançar no próximo dia 8 de Março de 2008, pelas 21h45m, nos Paços da Cultura.

O particular interesse deste trabalho do CCSJM reside no contraste entre um tema de raiz tradicional, popular e uma harmonização contemporânea, erudita.
Feita uma recolha de músicas populares, vindas S. João da Madeira e de terras vizinhas, esses temas foram harmonizados para coro, especialmente, para o CCSJM, por compositores naturais, também, da região: Eugénio Amorim, Pedro Santos, Fernando Valente e o Nuno Peixoto de Pinho. Magna Ferreira assumiu a direcção artística e foi a principal mentora deste projecto, gravado e editado pela Public-Art.
A maior parte dos temas foram retirados do Cancioneiro de Arouca, que deve ser a única compilação de música popular escrita existente, notável espólio cultural.
Nuno Peixoto de Pinho, um dos mais promissores compositores sanjoanenses, compôs a música que dá nome ao CD. Ao contrário das outras, Despiques é uma musica totalmente original deste compositor, que apenas se serviu de um texto popular, que reza assim:
"Raparigas d'Arrifana dobadoiras de algodão bós pra tomá-lo café comei-lo caldo sem pão.
Raparigas de S. João arrumaibos para o lado q'aí bem as de Arrifana e o ranho dependurado
Raparigas de Arrifana arrumaibos para o lado q'aí bem as de S. João e o rabo arrebitado."

(corrigido)

4 comentários:

Gaspas disse...

"harmonizados especialmente para o CCSJM por Eugénio Amorim, o Nuno Peixoto, o Fernando Valente e o Nuno Peixoto de Pinho"

Então e o Pedro??

Infelizmente não vou poder estar presente. Tenho reunião por terras do centro. Ser professor...
Já assisti à vossa apresentação das obras e adorei. Vou concerteza adquirir o CD.

rb disse...

Oops ... tens toda a razão, Gaspas, faltava o Pedro Santos e o Nuno Peixoto estava repetido. Já corrigi.
Obrigado pelo reparo e pelo elogio ao projecto. Vindo de ti, é uma honra recebê-lo.

rui guerra disse...

rica lenga-lenga entre as mulheres de terras vizinhas. não sei quem saíria a ganhar com esses atributos todos...
se calhar as do rabo arrebitado (agora compreendo a fisionomia de algumas moças da minha terra)

rb disse...

O texto foi ligeiramente recauchutado e acrescentei que a maior parte da música vem do Cancioneiro de Arouca, um espólio notável da música da região. De S.J.M nada foi possível encontrar a não ser o texto citado.
E sim, penso que não há dúvidas entre um rabo arrebitado e um ranho dependurado. As de S. João sim.