terça-feira, maio 20, 2008

Adeus

No vão da minha memória vai ficar sempre gravado o teu sorriso de menino matreiro e a alegria que emprestavas ao quotidiano dos nossos dias.
Até sempre, amigo.