sexta-feira, outubro 12, 2007










Tomara eu que viesse
o tempo que há de vir,
o tempo das "esfolhadas",
Ai!Para eu "m'adevertir".

Ando rouca do meu peito,
mal o haja rouquidão,
que me não deixa cantar,
a minha "sastifação".

Ando rouca do meu peito,
do meu peito "ençarrado";
Foi uma constipação.
Ai! Ai! Ai! Ai!

Esta minha rouquidão
não é catarro nem tosse,
é o ladrão do amor
que de mim quer tomar posse

Tenho catarro nas costas
"defeluxo" nas orelhas,
já não posso cantar mais,
Que me doi as sobrancelhas.

(do Cancioneiro de Arouca)

2 comentários:

rui guerra disse...

publica mais algumas, é bom haver recolha popular na net

rb disse...

Vou ver se publico. Esta letra é especialmente engraçada e irá integrar o próximo CD do Coro de Câmara SJM - a razão desta posta.