terça-feira, outubro 16, 2007

"Sabias que eu dormi sem chupeta"

O meu filho mais velho, que vai fazer 4 anos daqui a dois meses, ontem à noite, deixou de mamar chupeta. Estava prometido ser aos 4 anos, já depois de o ter sido aos 3, só que a última "peta" que restava cá em casa - era a penúltima mas não lhe digam nada - rompeu-se de vez. Tal como as anteriores, foi para o caixote lixo.
Para nossa agradável e feliz surpresa, este "desmame", está a correr lindamente, apesar do choque inicial. No dia seguinte, fez questão de dar a notícia em primeira mão à família e na escola - já sou crescido - concluia orgulhoso.
Não sou grande adepto de chupetas, confesso. A sua utilidade - a de uma espécie de sedativo - é apenas imediata. No futuro torna-se numa dependência de um corpo estranho, que estimula a propensão natural para o fenómeno aditivo. Quase como o tabaco nos adultos.
Pode também haver efeitos nocivos para a saúde dentária.
Pior: há quem diga que o uso de chupeta pode ser um obstáculo ao estreitamento dos laços familiares entre os pais e os filhos. Será?

16 comentários:

Gaspas disse...

"Pior: há quem diga que o uso de chupeta pode ser um obstáculo ao estreitamento dos laços familiares entre os pais e os filhos. Será?"

mas tu estás tolinho?

É claro que não.
os obstáculos ao estreitamento dos laços familiares entre os pais e filhos, são a falta de tempo, de carinho, de amizade, de dedicação, de solidariedade, de verdadeiro amor.

rui guerra disse...

muito bem, amigo gaspas.
com menos de 4 anos, as criancinhas acabam por adquirir outros hábitos e com o tempo tendem a esquecer o passado.
os meus filhos já não se lembram da chupeta. mesmo a luisinha, com os seus 4 anos e meio (teve um processo longo de "deschupamento"), ainda recorda a mesma mas, por a ter dado aos golfinhos do Zoomarine, há alguns meses atrás.
Ainda por cima, eu como pai, não lhes permito qualquer manifestação de retrocesso de idade.
Sou um chato, coitados.

Vigoras disse...

Coitado...

Porque não aproveitas, e a do mais novo ofereces ao Pai Natal, para ele dar aos meninos pobres.

Com a Rita resultou... deixou aos 2.

rb disse...

"mas tu estás tolinho?"

Caro Gaspas,

Não, até porque não sou só eu que o digo, há estudos sobre o assunto, como podes ver, por exemplo aqui.

Reflectindo um pouco acho que não é assim tão absurdo. O meu filho quando fazia birras e era contrariado, muitas vezes nos dizia que não gostava da mãe ou do pai e que só gostava da chupeta e do Hobes (boneco). E muitas vezes, por ex, quando acordam a meio da noite, a primeira coisa que pedem e querem é a chupeta. Quase como se substituíssem o carinho e o afecto dos pais pelo consolo de mamar a chupeta. Também conheço exemplos de bebés que não mamam a dita e se mostram muito mais independentes. Estou a pensar nos teus sobrinhos, como exemplo. Pelo contrário, os miúdos que se habituam a ela, chegam a largar aos 6 anos o que é um absurdo.

rb disse...

"eu como pai, não lhes permito qualquer manifestação de retrocesso de idade"

Guerra,

E muito bem!

rb disse...

"Porque não aproveitas, e a do mais novo ofereces ao Pai Natal, para ele dar aos meninos pobres."

Vigoras,

É o que eu sugiro à mãe mas parece que ela não acha o mesmo que eu, o que eu compreendo, até porque também tenho dúvidas se deva fazê-lo. Mas acho que a atitude do irmão vai ser imitada mais tarde ou mais cedo. É costume.

beautiful disse...

na minha opinião estão a fazer um drama por causa da chupeta, a complicar o que se pode e deve simplificar O IDEAL por vezes requer o timing certo.e cabe aos pais terem essa percepção e actuarem em conformidade. O mal que eu vejo no uso da chupeta é no efeito que tem na saúde dentaria e como é evidente tentar retirar o mais rápido possível com a calma e compreensão que esse processo exige. também não vejo beneficio nenhum na chupeta. Para eles na minha opinião é somente um mimo, algo que eles gostam. Mas não acho que a chupeta interfira de forma alguma nos laços afectivos. Pelo menos no meu bomboca isso não acontece. :)

rb disse...

Beatiful,

Disseste bem, se calhar estamos a complicar o simples, mas eu tinha de justificar porque não sou "tolinho".
Este post serve para, com a minha experiência, alertar os pais (até pareço aquele pedo-psiquiatra que aparece sempre na TV, fala a sussurrar e tem um penteado ridículo) para pensarem duas vezes antes de insistirem (porque muitas vezes eles não querem mesmo) com o uso de chupeta.

"Pelo menos no meu bomboca isso não acontece"

O problema, verdadeiramente, só surge mais tarde, 3/4 anos. mas atenção, é como tu dizes, não é nenhum drama.

rui guerra disse...

não é drama usar, assim como, deixar de usar e assim como, nunca usar.
não se esqueçam do que usam os bebés antes de usar chupeta!

rb disse...

"não se esqueçam do que usam os bebés antes de usar chupeta!"

Mas esse é um hábito são, meu caro.
:)

rui guerra disse...

claro, por isso mesmo!!! :)

Gaspas disse...

RB
desculpa o "tolinho", não era para ficares ofendido, não passou de uma expressão, contudo a minha opinião mantém-se inalterada. acho no mínimo rídiculo a ideia de a chupeta ter esse papel destrutivo na relação com os pais. No artigo da Wikipédia que tu indicaste se fores à discussão vês que tudo não passa de uma treta pegada.
sem estudos e sem fundamento.
1 abraço

ofthewood disse...

A conversa está muito interessante. Mas as coisas não são assim tão simples, ou se calhar, são mais simples do que parecem. Pela minha parte, só tenho a dizer, que um dos meus filhos só usou a dita durante um ano. Sem dramas, tanto um com outro, deixaram de mamar na borracha, naturalmente. E quanto à referida independência, são iguais aos outros... ou são ou não são!

rb disse...

Gaspas,
Claro que não fiquei ofendido. Nada. Tolinho és tu!
:)
Ora bem, temos pontos de vista diferentes.
Para que é que se dá a chupeta-xuxa -petita-pêpê, ao menino? É para o calar, para ficar sossegado, para por-lo a dormir, etc. Ou não?
E não haverá um certo comodismo dos pais, quando lhe alimentam o vício, insistindo, insistindo? Se calhar ...
O tempo, carinho, amizade, dedicação, solidariedade, verdadeiro amor, que tu tão bem enunciaste, pode e bem substituir a perda da teta da mamã.
Isto não vai lá com substitutos.

Sandra Leite disse...

bravo...

adorei a discussão acerca de pais e filhos....

RB deves ser um grande pai!

beijos

rb disse...

Obrigado, Sandra. Grande não serei de certeza, porque a mim também me falta o tal tempo, mas tento fazer por isso.