quarta-feira, outubro 25, 2006

As caixas de comentários

Há uns meses largos atrás deu muita celeuma na blogo nacional um artigo do José Pacheco Pereira, no jornal Público, intitulado A fauna da caixa dos comentários. Segundo ele, pelas caixas de comentários dos blogs proliferavam uma cambada de frustrados que aí despejavam lamúrias, invejas e insultos de toda a ordem. Havia uma espécie de povo ululante a passear de blog em blog, a protestar contra tudo e todos.
Ainda, na opinião de JPP, no mundo das caixas de comentários coabitavam anónimos, uns sem nick e outros com. Os primeiros eram simplesmente anónimos. Os outros, que usavam nick, distinguiam-se dos simplesmente anónimos por quererem ser identificados dalguma forma, embora sempre sob o anonimato dum nick name.
Depois citava vários nicks como exemplo, entre eles o Atento que era eu. O Atento foi um nick que criei, por brincadeira, e de que me servia para comentar na Grande Loja do Queijo Limiano e no extinto Espectro.
Naltura fiquei revoltado com o artigo porque apesar de concordar que a blogsfera tinha muito daquilo que ele descrevia, o facto de JPP ter pessoalizado o assunto, mesmo que por via dum simples nick, era tremendamente injusto para muitos dos citados, onde, modestamente, eu me incluía. Meteu-se tudo no mesmo saco.
Depois aquilo cheirava demasiado a ajuste de contas entre blogs famosos e eu fui para lá enfiado, não sei bem porquê. Ou se calhar imagino. Terá sido pelo facto de eu ter acompanhado uns posts do Espectro, onde JPP foi visado negativamente. Lembro que o Espectro era conduzido por Constança Cunha e Sá e Vasco Pulido Valente e teve um sucesso meteórico e que apenas ao cabo de 3 meses ultrapassou o Abrupto no comando das audiências. Logo a seguir acabou. Enfim, por muitas razões e mais algumas, às quais não importa voltar, aquilo era para mim um absurdo completo.
Sou a favor dos blogs com comentários livres, mesmo correndo riscos. Mas, obviamente, também não sou contra quaisquer outras opções editoriais dos bloggers. Isso cada um é soberano.
Mas para o bem e para o mal, os comentários e os comentadores são uma das marcas indeléveis da blogsfera. Nelas a discussão é viva, criativa, inesperada. Os seus intervenientes são diversos e multifacetados. Entrecruzam-se opiniões e argumentos à volta duma mesa redonda sem fim onde todos podem sentar-se e há sempre lugar para mais um. Faz-me recordar aquelas tertúlias de juventude, onde se mandavam uns piropos e se contavam histórias incríveis.
As caixas de comentários têm tanto a virtualidade de gerar amizades e cumplicidades várias, como a de provocar zangas e desavenças, ainda que só e meramente virtuais.
Para mim e para muitos bloggers, penso eu, as caixas de comentários são como húmus que alimenta a criação.

9 comentários:

AM disse...

Caríssimo Atento

Cá estou, frustrado mas ululante, pronto a protestar contra tudo e todos e a despejar as lamúrias, invejas e insultos que me passem pela cabeça.

Só preciso de uma primeira orientação:

Quanstos são?
Onde estão?
Como os distingo?

Vamos a eles, que nem Tarzões :-D

Um abraço
AM

maloud disse...

Ainda bem que apareceu o AM. Como não foi citado por essa sumidade, rei dos opinion-makers da nossa sempre querida Pátria [a maiuscúla ainda é um resquício da campanha do Alegre. Fiquei impregnada daquele amor patriótico desbragado} pode substituir-me, uma vez que resolvi reformar-me da actividade estimulante de blogueira. Aquilo de ser defensora dos pobres e oprimidos era uma canseira pouco própria para a minha provecta idade.
Portanto, caríssimo Atento, volta meia volta passarei por cá, mas não me exija assiduidade. Estou noutra. Dedico-me à magia negra, onde concentro toda a minha inveja do poder. Quando este {e "este" é muito abrangente} cair e a multidão ululante tomar conta dos nossos destinos, já sabe a quem agradecer. Ao JE.
Um grande abraço
PS{não é o nosso}se precisar de uma mãozinha para defender o Sócrates, chame-me

ricardo batista disse...

Caríssimo AM,

Não sei onde estão, mas ... "eles andem aí". Lembrei-me deste assunto por causa do último blog da moda, pelos piores motivos, o blog anónimo freedomtocopy, onde a última vez que lá passei, tinha o post inicial contra 280 comentários! Claro que não tive paciência para ler aquilo, mas que o tal povo abancou por lá, isso foi.

Apareça sempre!
Um abraÇo

maloud disse...

Assim não vale. Então eu meto o comentário e V.Exª, que pelos vistos também aprendeu a técnica dos heterónimos {foi comigo ou com o Pessoa?}, salta logo com o ASSUNTO, obrigando-me a faltar à sessão das 14.30?!
Eu ando tão despassarada que só hoje à 1 da manhã pesquei o último frisson nacional. Claro que li a maioria dos comentários. Aquilo é de uma elevação tal que me deixou em extase. E, já agora confesso-lhe, a minha ausência da blogosfera deve-se à falta de pedalada para acompanhar os distintos anónimos que debitam aquelas pérolas. É que tudo aquilo no mínimo exige um doutoramento e uma ética só ao alcance de quem aspira à canonização. Depois de me auto-analisar conscenciosamente, rendi-me à evidência e retirei-me.

ricardo batista disse...

Minha cara Maloud,

Há quanto tempo! Já tinha saudades de a ler.
Estou admirado com mais esta sua reforma antecipada. A blogsfera tem muito a perder com essa sua decisão já que era tida por muitos como uma das comentadoras mais distintas desta praça.
"Não me peça assiduidade". Claro que não, nem tenho nada que pedir.
O Escaninho é apenas uma brincadeira pessoal e despretenciosa, nada mais.
É que isto, é de facto, uma canseira, então agora muito mais. Mas escrever faz bem à alma, é uma massagem ao espírito.
"Dedico-me à magia negra" Não me diga que é voodoo? É que se for eu posso vir a precisar. (:D)
Apareça sempre e quando quiser! É muito bemvinda!
Goze bem a reforma!

Um AbraÇo

Anónimo disse...

Caríssimo RB (será de rocabili ??)

De quando em vez também eu passo por aqui. No entanto, desta vez, tive vontade apenas de dizer isto: o tal JPP gosta muito é de laudos às suas, alegadas, virtudes de "grande timoneiro". Por isso, não tem nada que se sentir revoltado com a referida pessoalização do assunto. Você tem corpo para aguentar isso e muito mais... não desanime.

um abraço,

map61

rui guerra disse...

parece que ainda temos alguns "complexos" de anonimato por vencer: as iniciais e o próprio nome do blog, não são muito assertivos.
lembro-me do Atento no espectro, um bom blog até à crítica acéfala à Clara Ferreira Alves.
é claro que no universo global da blogo é preferivel ser Atento do que ter nome próprio, soa melhor.
Afinal o que somos?

ricardo batista disse...

O meu ilustre comentador e velho amigo Rui Guerra tem alguma razão no reparo. E os amigos também são para nos descobrirem a careca. O RB deixou o Escaninho e quem manda nesta chafarrica agora é mesmo o Ricardo Batista. Conhecem?

Mas, caro Rui, Fernando Pessoa, Álvaro Cunhal e tantos outros que escreveram sob um heterónimo(s) ou que alteraram de alguma forma o seu nome original terão tido também ""complexos" de anonimato"?

O Atento deixou de ser um heterónimo anónimo, mas unicamente para ti e para quem me conhece realmentee e sabe que sou eu mesmo que estou aqui a escrever. Para os outros continuarei anónimo.

O Atento foi um blogger que criei para comentar na GLQL, que é um blog alimentado por anónimos, alguns deles magistrados. Só que depois foi ficando noutros blogs que usavam caixas idênticas. Em blogs como o blasfémias, o tugir (na fase de webblog), a destreza das dúvidas, o Adufe, e outros, em que não era necessário estar registado como blogger comentava como Ricardo. E as minhas primeiras aventuras de comentador foram no Quadrado, o blog de apoio à candiadatura do Alegre, onde também usava Ricardo.

Não tenho nada contra o anonimato, desde que não seja para fins ínvios, como o insulto, a denuncia, a calúnia, o boato, etc. Muitas vezes fico deveras espantado com a qualidade dos comentários simplesmente anónimos. Podemos ser assertivos mesmo sendo heterónimos ou simplesmente anónimos.
Perguunto: - O que seria a blogosfera sem os anónimos?

Quanto ao nome deste blog, francamente, não percebi o reparo.

ricardo batista disse...

Caro map 61,

Não, é mesmo de Ricardo Batista. Já agora o seu é de quê?
Obrigado pelo consolo e tem razão nisso que diz do JPP, aliás, um dos posts do Espectro em que ele foi mais criticado foi por causa das leis da blogsfera que ele auto-proclamou.

Mande Sempre!

Um abraÇo